Há uma frase que diz que o passado e o futuro não servem para morar, mas somente para visitar. O passado é extremamente importante, mas já passou. O futuro também é fundamental, no entanto, ele ainda não chegou e pode estar longe.

Em um relacionamento amoroso, a mesma lógica de pensamento consegue se encaixar. Uma relação que se prende ao passado geralmente baseada em mágoas, ressentimentos, arrependimentos ou então a nostalgia por tudo que já ocorreu de bom e não volta mais. Já uma relação presa ao futuro é ansiosa, amedrontada ou baseada em expectativas engessadas, ou seja, na inflexibilidade para a mudança e na impossibilidade de adaptações de acordo com as situações que aparecem.

De tal maneira que devemos nos concentrar em uma relação no aqui e no agora, no momento presente. É nele que a vida se faz continuamente. O passado é importante de ser visitado e revisitado, pois existe nele um aprendizado essencial para as nossas vidas e é lá que estão as nossas experiências boas com o outro que também fortalecem o amor. Assim como é essencial pensarmos no futuro da relação, para que algo seja construído a longo prazo e o namoro ou casamento não pareça “sem futuro algum”, assim, vazio, sem sentido concreto.

Mas o presente é o que move nossas vidas, de maneira consciente e esperançosa. É aqui que passado (consciência) e futuro (esperança) tem a chance de se encontrar de maneira pacífica. Aliás, você já disse eu te amo para seu companheiro hoje?

Mulher_na_duvida